Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

CARACTERIZAÇÃO DA EXPANSÃO DO VOLUME EXTRACELULAR MIOCÁRDICO E DA HIPERTROFIA DO MIÓCITO POR RESSONÂNCIA MAGNÉTICA CARDÍACA EM RECEPTORES DE TRANSPLANTE CARDÍACO SEM REJEIÇÃO ATIVA: IMPLICAÇÕES SOBRE O REMODELAMENTO CARDÍACO PRECOCE.

BARROS JR, J.C., LAVAGNOLI, C.F.R, VILARINHO, K.A.S., OLIVEIRA, P.P.M., SILVEIRA FILHO, L.M., SOUZA, J.R.M., PETRUCCI, O., COELHO, O.R., COELHO-FILHO, O.R.
FACULDADE DE CIENCIAS MÉDICAS – UNICAMP - - SP - BRASIL

Introdução:A hipertrofia ventricular esquerda(HVE) é um achado comum após transplante cardíaco(TxC),de caráter multifatorial e relacionada com hipertensão arterial sistêmica, resposta imune crônica e efeitos adversos da imunossupressão.A HVE nesse contexto está associada com disfunção diastólica e intolerância aos esforços,bem como redução na expectativa de vida após TxC.A expansão do volume extracelular miocárdico(ECV) e hipertrofia dos miócitos(HM)são importantes componentes do remodelamento após TxC.A biópsia cardíaca apresenta limitações e pode não ser representativa para avaliação do remodelamento miocárdico global.O objetivo do estudo foi caracterizar a ECV e a HM por ressonância magnética cardíaca(RMC)em uma coorte de receptores de TxC sem rejeição ativa.Métodos:Medidas de T1 foram realizadas antes e após administração de gadolínio.O tempo de vida intracelular da água(TVIA),um parâmetro para estimar o tamanho do miócito, e a fração de volume extracelular(ECV),um marcador de fibrose intersticial,foram determinados pela troca transmembrana de água nos miócitos.Resultados:23 pacientes receptores de TxC sem rejeição aguda(idade média 47,6±7anos;6 feminino;SC 1,70±0,16m2;tempo-médio após-TxC11±20meses)e 30 voluntários saudáveis (idade média 49.5±9anos) foram submetidos à RMC(1.5T) para avaliação da função do VE, T2, mapa de T1 pré e pós-gadolínio e realce tardio,e à ecocardiograma com avaliação da função diastólica.Receptores de TxC apresentaram FEVE preservada(68±11%)com sinais de remodelamento concêntrico (Massa/volume>1) e aumento significativo da massa do VE em comparação com controles(MassaVE 114±19g vs.80±5g;p<0.001).Ambos os grupos não apresentaram realce tardio ou alteração na intensidade em T2. A ECV e o TVIA foram maiores nos receptores de TxC (0.49±0.1 vs.0.28±0.03;p<0.001) e (0.19±0.1 vs.0.08±0.02;p<0.001), respectivamente, em relação ao grupo controle.Além disso,ECV mostrou correlação inversa com a ondas E’ lateral e septal ao ecocardiograma (r=0.56,p=0.02) e (r=0.45,p<0.05), respectivamente,o que demonstra uma robusta correlação entre expansão do volume extracelular e marcadores de disfunção diastólica.Conclusão:A quantificações do ECV e do TVIA pela RMC caracterizaram a expansão do volume extracelular e a hipertrofia do miócito em receptores de TxC com hipertrofia e remodelamento concêntrico do VE.ECV se associou com marcadores de disfunção diastólica e se mostrou mais proeminente em receptores de TxC, o que sugere que a fibrose possa ser a principal característica do remodelamento em receptores de Txc,mesmo com a FEVE preservada.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Operacional

Malu Losso

Organização Operacional Expositores

JA Eventos

Organização Científica

SD Eventos

Montadora Oficial

Estande Feiras e Congressos
Estrutural

Agência Web

Inteligência Web